Patrocínio


Em uma prova extremamente seletiva, quem conquistou o lugar mais alto do pódio na segunda etapa da Copa Peugeot de Rally de Velocidade, disputada entre os dias 15 e 17 de abril em Blumenau (SC), foram as duplas do Sul do país.

Na categoria 207 Super, Rafael Túlio e Julimar Ferro, do Paraná, não deram chance aos concorrentes. Apesar da disputa acirrada principalmente com Marcos Tokarski / Andrey Karpinski e Pedro Zamith / Gilson Rocha, tiveram um fim de semana irretocável, vencendo as provas de sábado e domingo.

"A etapa foi muito técnica e exigiu um trabalho especial dos navegadores, como o do meu parceiro, que se esforçou demais para que atingíssemos esse resultado". Túlio também destacou outros pontos que o ajudaram a chegar à vitória, como a troca do monobloco. "O rendimento do carro melhorou muito".

A grande competitividade entre as duplas foi verificada também na 207 Máster. Com a "faca nos dentes", Lucas Arnone / Felipe Costa se alternavam nos melhores tempos contra os irmãos Clécio e Sandro Maestrelli, que eram assistidos de perto por Junior Siqueira / Wallace von Schmidt.

Apesar da grande performance em alguns trechos, chegando a fazer o melhor tempo entre os 34 carros participantes na especial 5, Lucas e Felipe tiveram problemas na última passada com a chave geral do carro, o que comprometeu seu resultado final. Bom para a dupla dos irmãos paranaenses, que manteve a ótima fase na temporada: "Já são duas vitórias este ano. Hoje deu tudo certo. Acho que o segredo é ser completo em tudo, ter um bom carro, entrosamento entre piloto e navegador. É fácil errar, e se você erra, fica de fora", disse o piloto.

Já na categoria 206, Toninho Genoin e Cássio Quadros fizeram fazer valer o fator de correr em casa para ficar com a vitória ao vencer simplesmente sete das oito especiais da etapa. "A prova foi uma loucura. Rodamos mais de uma vez, perdemos tempo importante, mas não desistimos nunca. Nosso lema é: na dúvida, acelera!", brincou o piloto catarinense.

A etapa

A prova de Blumenau contou com duas especiais, chamadas Sarmento (de 9,10 km, curta e de alta velocidade) e Itoupava (de 20,70 km, travada e muito seletiva). No sábado e no domingo os competidores fizeram duas passagens por cada uma delas, totalizando oito especiais e 119,20 km de trechos cronometrados.

Este foi o quinto ano consecutivo que o Estado de Santa Catarina recebe a competição organizada pela Peugeot Sport Brasil. "O Rally de Velocidade é muito tradicional na região. E, nesta ocasião, pudemos desenvolver uma prova altamente seletiva. Aproveitamos parte das especiais já realizadas no passado, mas com sentido invertido, e criamos especiais novas. Os pilotos e navegadores encontraram um circuito técnico, bastante travado e ainda mais complicado", afirmou Ronaldo Berg, gerente da Peugeot Sport Brasil.

Somadas a essas dificuldades estava também o piso escorregadio. Rafael Túlio (207 Super), que nasceu em Pomerode e conhece como poucos as características da região, disse ter passado por inúmeros sustos no decorrer da etapa. "Solo muito liso e, por causa das chuvas, vários trechos acabavam com terra solta. Estava difícil controlar o carro".

A mesma opinião tinha Lucas Arnone (207 Máster). "Passei mal com o calor e o piso estava muito liso. Superamos muitos obstáculos para vencer no sábado e terminar a etapa em segundo, como no momento em que desgarramos no primeiro dia e danificamos a suspensão dianteira. Deu para terminar a prova".

Júnior Siqueira (207 Máster) comemorou o fato de chegar inteiro. "As especiais estavam maravilhosas, mas perigosas também. Não dá para errar e as referências para a navegação eram uma em cima da outra".

Ronaldo Berg também ressaltou o empenho da Prefeitura do Município, junto a suas demais Secretarias, na organização da prova, pois as chuvas das últimas semanas destruíram pontes o ocasionaram quedas de barreiras nas estradas. "Mesmo com esses percalços, tudo correu bem. Tivemos outra etapa de altíssimo nível".

Premiação em dinheiro é um dos benefícios da Copa Peugeot

Uma das poucas competições nacionais a oferecer prêmios em dinheiro, a Copa Peugeot mantém em 2011 essa vantagem para os participantes das três categorias que compõem o Rally de Velocidade. No total, serão distribuídos R$ 313,5 mil no ano (R$ 37,5 mil em cada uma das sete etapas), sendo R$ 7 mil para a categoria 206, R$ 14,5 mil para a 207 Máster e R$ 16 mil para a 207 Super.

A premiação final, destinada aos melhores da temporada, soma R$ 51 mil, distribuídos da seguinte forma: R$ 6 mil para a categoria 206, R$ 21 mil para a 207 Máster e R$ 24 mil para a 207 Super.

Além das premiações, a Peugeot Sport Brasil mantém o pacote de benefícios oferecido aos competidores desde a temporada de estreia, que inclui transporte gratuito dos veículos pela Brazul Logística e Transportes, parque de apoio com estruturas amplas e específicas para pilotos, imprensa e patrocinadores, além da presença permanente de um conselheiro técnico para suporte às equipes e venda de peças subsidiadas.

Informações detalhadas e o regulamento da Copa Peugeot 2011 estão disponíveis no site oficial da competição: www.copapeugeot.com.br.

A temporada 2011 da Copa Peugeot de Rally avança para a terceira etapa com a disputa em Bento Gonçalves (RS) entre os dias 20 e 22 de maio.

Resultado da 2ª etapa Blumenau (SC)

207 Super
1) Rafael Túlio (PR) e Julimar Ferro (PR) - 1:25:09.80
2) Marcos Tokarski (PR) e Andrey Karpinski (SP) - 1:27:17.10
3) Pedro Zamith (Portugal) e Gilson Rocha (PR) - 1:27:20.30
4) Fábio Dall?Agnol (RS) e Gabriel Morales (DF) - 1:27:30.70
5) Fabiano Altomar (MG) e KZ Morales (DF) - 1:27:34.90

207 Máster
1) Clécio Maestrelli e Sandro Maestrelli (PR) - 1:26:54.80
2) Luccas Arnone (PR) e Felipe Costa (SP) - 1:27:50.60
3) Júnior Siqueira (SP) e Wallace von Schimidt (SP) - 1:29:06.40
4) Roberto Theodoro (RS) e Eduardo Soneca (RS) - 1:29:41.90
5) Emerson Destro (SP) e Dirlei Godói (SP) - 1:30:14.90

206
1) Toninho Genoin (SC) e Cássio Quadros (SC) - 1:29:56.40
2) Hugo Cater Alves (SP) e Kaique Bentivoglio (SP) - 1:32:52.40
3) Heitor Pavesi (PR) e Norberto Calliari (PR) - 1:34:08.40

Compartilhar

Do Blog

O Sonho Que Muitos Não Entederão

Recebi esse texto de um amigo. Infelizmente o autor é desconhecido, mas reflete tudo aquilo que nós, automobilistas, vivemos. 


O Sonho Que Muitos Não Entenderão.

Ter um carro de corrida é um sonho pessoal. Um dia quando estiver muito velho e quando não puder andar mais, estará na minha garagem, ou nas minhas fotos do escritório, ou casa, assim como todos os troféus que serão as minhas memórias.

Leia mais...
by acls us

Busca

Agenda

14 - 15/09/2019 - Rally Rio Negrinho
Campeonato Brasileiro de Rally
26 - 27/10/2019 - Rally da Graciosa
Campeonato Brasileiro de Rally
Back to Top