Patrocínio

De Goiânia a Pirenópolis foram apenas 83 km de especial, um deslocamento total de 153 km e o Rally dos Sertões já mostrou as suas intenções. Os concorrentes perceberam, se adaptaram e responderam à altura.

Pirenópolis, Go, 10 de agosto de 2011 - Nascida como Minha de Nossa Senhora do Rosário Meia Ponte, a cidade viveu a infância de sua vida, nos séculos 18 e 19, como importante centro urbano com mineração de ouro, comércio e uma forte produção de algodão para exportação. Hoje, a renomeada Pirenópolis é patrimônio tombado como conjunto arquitetônico, urbanístico, paisagístico, histórico e artístico. É também endereço certo para festas tradicionais, procissões, turismo ecológico e, claro, o Rally dos Sertões. A caravana da competição foi recebida de braços abertos, dando continuidade à hospitalidade que Goiânia mostrou.

Dia 1, só esquentar os motores?
Não. Praticamente todos os competidores chegaram à Pirenópolis com a mesma impressão. Os 83 kms de trial, sinuosidade e poeira deixaram a impressão que o primeiro dia não foi um simples esquenta, mas já chegou quente, determinado a mostrar que a edição deste ano vai ser mesmo surpreendente.
 
Nos carros Guiga é o 1º em "Piri"
Mesmo largando atrás, estando enferrujados e tendo que fazer duas ultrapassagens a dupla Spinelli/Haddad colocou o Mistubishi Lancer para trabalhar e venceu com 2min 02seg de vantagem. E como todos, Guiga e Youssef foram rápidos em declarar que os trechos eram muito travados e a navegação muito importante. "Mas foi ótimo estrear com o Lancer no Brasil com uma vitória em uma especial dura e curta. O carro é ótimo, estou inteiro, mas o rally começou quente demais!"

Paulo Nobre/Felipe Palmeiro ficaram em um espetacular 2º lugar a uma diferença de apenas 19 seg de Guiga, depois de terem largado em 25º lugar! Nobre logo na chegada declarou calmo, ciente das qualidades de sua BMW X3:  "Foi tudo bem, perdi a conta das ultrapassagens hoje, foi muito cansativo e se esse for o dia mais fácil do rally, será o Sertões mais difícil de todos".

Luis Stedile foi outro que brilhou ultrapassando 5 carros e terminando em 3º, o primeiro entre os carros nacionais. "Parece que eu andei 400km!  Abusei mesmo, o tempo todo, mas o carro reagiu muito bem às pedras e ao trial. Fez a diferença estar com um carro diesel por causa do torque, que facilita na hora de guiar nessas condições, a gente troca menos de marcha. Na verdade, só me encontrei mesmo no meio da especial, por isso estou muito feliz com o resultado".



Resultado Geral
1º # 301GUILHERME SPINELLI/YOUSSEF HADDAD - 01:18:10 
2º #314 PAULO NOBRE /FILIPE PALMEIRO - 01:18:29        
3º #315 LUIS EDUARDO STEDILE /DECO MUNIZ - 01:19:51

Para Amanhã:
Acontece a 2ª etapa da prova.
O Rally sai de Pirenópolis e segue para Porangatu , tudo em Goiânia.
Serão 290 km de trechocronometrado.
Deslocamento inicial de 37 km
Com deslocamento final de 257 km
O Total do dia: 584 km

Compartilhar

Do Blog

O Sonho Que Muitos Não Entederão

Recebi esse texto de um amigo. Infelizmente o autor é desconhecido, mas reflete tudo aquilo que nós, automobilistas, vivemos. 


O Sonho Que Muitos Não Entenderão.

Ter um carro de corrida é um sonho pessoal. Um dia quando estiver muito velho e quando não puder andar mais, estará na minha garagem, ou nas minhas fotos do escritório, ou casa, assim como todos os troféus que serão as minhas memórias.

Leia mais...
by acls us

Busca

Agenda

01 - 03/11/2019 - Rally da Graciosa
Campeonato Brasileiro de Rally
Back to Top