Patrocínio

De Goiânia a Pirenópolis foram apenas 83 km de especial, um deslocamento total de 153 km e o Rally dos Sertões já mostrou as suas intenções. Os concorrentes perceberam, se adaptaram e responderam à altura.

Pirenópolis, Go, 10 de agosto de 2011 - Nascida como Minha de Nossa Senhora do Rosário Meia Ponte, a cidade viveu a infância de sua vida, nos séculos 18 e 19, como importante centro urbano com mineração de ouro, comércio e uma forte produção de algodão para exportação. Hoje, a renomeada Pirenópolis é patrimônio tombado como conjunto arquitetônico, urbanístico, paisagístico, histórico e artístico. É também endereço certo para festas tradicionais, procissões, turismo ecológico e, claro, o Rally dos Sertões. A caravana da competição foi recebida de braços abertos, dando continuidade à hospitalidade que Goiânia mostrou.

Dia 1, só esquentar os motores?
Não. Praticamente todos os competidores chegaram à Pirenópolis com a mesma impressão. Os 83 kms de trial, sinuosidade e poeira deixaram a impressão que o primeiro dia não foi um simples esquenta, mas já chegou quente, determinado a mostrar que a edição deste ano vai ser mesmo surpreendente.
 
Nos carros Guiga é o 1º em "Piri"
Mesmo largando atrás, estando enferrujados e tendo que fazer duas ultrapassagens a dupla Spinelli/Haddad colocou o Mistubishi Lancer para trabalhar e venceu com 2min 02seg de vantagem. E como todos, Guiga e Youssef foram rápidos em declarar que os trechos eram muito travados e a navegação muito importante. "Mas foi ótimo estrear com o Lancer no Brasil com uma vitória em uma especial dura e curta. O carro é ótimo, estou inteiro, mas o rally começou quente demais!"

Paulo Nobre/Felipe Palmeiro ficaram em um espetacular 2º lugar a uma diferença de apenas 19 seg de Guiga, depois de terem largado em 25º lugar! Nobre logo na chegada declarou calmo, ciente das qualidades de sua BMW X3:  "Foi tudo bem, perdi a conta das ultrapassagens hoje, foi muito cansativo e se esse for o dia mais fácil do rally, será o Sertões mais difícil de todos".

Luis Stedile foi outro que brilhou ultrapassando 5 carros e terminando em 3º, o primeiro entre os carros nacionais. "Parece que eu andei 400km!  Abusei mesmo, o tempo todo, mas o carro reagiu muito bem às pedras e ao trial. Fez a diferença estar com um carro diesel por causa do torque, que facilita na hora de guiar nessas condições, a gente troca menos de marcha. Na verdade, só me encontrei mesmo no meio da especial, por isso estou muito feliz com o resultado".



Resultado Geral
1º # 301GUILHERME SPINELLI/YOUSSEF HADDAD - 01:18:10 
2º #314 PAULO NOBRE /FILIPE PALMEIRO - 01:18:29        
3º #315 LUIS EDUARDO STEDILE /DECO MUNIZ - 01:19:51

Para Amanhã:
Acontece a 2ª etapa da prova.
O Rally sai de Pirenópolis e segue para Porangatu , tudo em Goiânia.
Serão 290 km de trechocronometrado.
Deslocamento inicial de 37 km
Com deslocamento final de 257 km
O Total do dia: 584 km

Compartilhar

Do Blog

Até parece vide game

Na última etapa do Campeonato Brasileiro de Rally, em Rio Negrinho / SC, experimentamos uma nova posição de camera. Ficou parecendo video-game. 

by acls us

Busca

Agenda

Sem eventos
Back to Top